OIM estima que 25 mil somalis voltem ao país por ano

12 abril 2017

Arábia Saudita e Iémen registam maior número de regressados; agência quer maior sustentabilidade no apoio às pessoas que retornam; fome obriga 8 mil pessoas a deixar diariamente as suas casas dentro do território somali.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

A Organização Internacional para Migrações, OIM, anunciou duas iniciativas financiadas pela União Europeia para reintegrar refugiados e deslocados de uma forma sustentável. Os projetos também devem apoiar comunidades locais.

Estima-se que todos os anos, 25 mil somalis retornem ao país do Corno de África. Os principais pontos de origem são a Arábia Saudita e o Iémen.

Gestão

De acordo com a agência, a iniciativa pretende melhorar as capacidades de ajuda imediata aos retornados e ajudar a criar uma equipa de gestão do processo.

Os fundos serão usados para melhorar a recolha de dados, a monitorização e o planeamento dos movimentos da população.

Um dos objetivos é gerir melhor as fronteiras, criar unidades móveis para lidar com a migração e recolher dados sobre o retorno e a reintegração dos somalis.

Fome

A OIM tenta alargar as suas ações para outras áreas do país que está à beira de uma situação de fome. Estima-se que 8 mil pessoas sejam diariamente forçadas a abandonar as suas casas em busca de água e comida.

Cerca de 1,1 milhão de deslocados internos vivem em acampamentos ou com comunidades de acolhimento.

*Apresentação: Denise Costa.

Notícias relacionadas:

ONU recebeu um quinto dos fundos para apoiar pessoas em risco de fome

Uganda: ONU elogia redução dos índices de nanismo em crianças

Chefe da FAO prioriza resiliência para travar fome na Bacia do Lago Chade  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud