Entrevista: Carolina Azevedo

6 abril 2017

Um relatório divulado esta quinta-feira pela ONU afirma que os custos socioeconômicos para combater a epidemia da zika na América Latina e do Caribe entre 2015 e 2017 podem chegar a US$ 18 bilhões.

O documento, preparado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud, e pela Federação Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, tem como foco o Brasil, a Colômbia e o Suriname.

A coordenadora de comunicação do Pnud em Nova Iorque, Carolina Azevedo, falou à ONU News que o relatório concluiu que a epidemia de zika terá um impacto significativo a curto e também a longo prazos tanto nas esferas econômica como social em toda a região.

Ela disse que além das perdas tangíveis para o PIB e para as economias, principalmente as que dependem tanto do turismo, como é o caso do Caribe, há uma pressão muito grande sobre os sistemas de saúde.

O documento diz que o Brasil deve ser o país com maior gasto, mas os impactos mais severos serão sentidos pelas comunidades mais pobres e mais vulneráveis.

Carolina Azevedo falou também sobre as recomendações do Pnud para prevenir e combater novas epidemias.

Acompanha a entrevista com o Edgard Júnior.

Duração: 8'19"

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud