Angola quer maior influência no debate global sobre questões de género

30 março 2017

Ministra da Família e Promoção da Mulher defende mais participação na organização da CSW; governante quer  uma voz angolana na definição de temas   globais no evento anual.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

Angola quer um maior papel na organização do maior evento das Nações Unidas que promove a igualdade de género. A revelação foi feita à ONU News, em Nova Iorque, pela ministra da Família e Promoção da Mulher.

Filomena Delgado explicou a razão da busca pelo destaque na Comissão sobre o Estatuto das Mulheres, CSW, no balanço da sessão que este ano teve mais de 400 reuniões.

Quadros angolanos

“Gostaríamos de fazer parte do bureau, gostávamos de voltar a fazer parte, para que a níveis técnicos pudessem ter algum nível de influência na escolha de técnica pormos mais quadros angolanos a presentar, moderar, liderar painéis. Gostávamos de ter uma participação mais ativa nós temos as nossas cotas em dia e acho que seria justo que nós também tivéssemos uma outra participação.”

Por dois anos, o presidente em exercício da Comissão da CSW foi o embaixador brasileiro António Patriota.

Mulheres e meninas

O seu mandato terminou na semana passada na sessão que destacou a promoção da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável com foco na igualdade de género e empoderamento das mulheres e meninas.

O grupo de cinco membros deve viabilizar a preparação do evento e garantir o êxito dos resultados das sessões anuais, que juntam milhares de participantes que incluem mulheres e jovens.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud