Número de refugiados sul-sudaneses ultrapassa mais de 60 mil na região

29 março 2017

Movimento ocorreu entre janeiro a março; agência prepara revisão do plano de ajuda a refugiados e comunidades no Sudão; movimento corresponde a mais de 17% do total de sul-sudaneses nos países vizinhos.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

O número de sul-sudaneses nos países vizinhos superou as expectativas e atingiu mais de 60 mil pessoas no primeiro trimestre de 2017.

Uma nota da representante da Agência da ONU para Refugiados, Acnur, no Sudão considera a cifra “um sinal de um possível agravamento da situação no Sudão do Sul”.

Emergência

O apelo de Noriko Yoshida  à comunidade internacional é que continue a apoiar o vizinho Sudão durante a emergência de refugiados sul-sudaneses.

Nas próximas semanas a agência deve anunciar uma versão revista em alta do plano de apoio a refugiados e comunidades de acolhimento no Sudão.

Até o momento, o Acnur e parceiros receberam 3% dos US$ 166 milhões que precisam de doadores internacionais para realizar as ações previstas para este ano.

Fuga

Após destacar que a solução para a fuga de pessoas para os países vizinhos deve vir do Sudão do Sul, Yoshida agradeceu a generosidade sudanesa por receber os refugiados e manter as suas fronteiras abertas.

Estima-se que 365 mil refugiados sul-sudaneses tenham chegado ao Sudão desde dezembro de 2013. A maioria são mulheres e crianças.

Yoshida considerou encorajadora a oportunidade dada pelo Governo do Sudão para que refugiados sul-sudaneses vivam com comunidades de acolhimento com as quais têm antigos laços de amizade.

A responsável  explicou que os refugiados também trabalham na terra apoiando os agricultores locais e com o que ganham sustentam as suas famílias.

O pedido aos países é que também apoiem às comunidades de acolhimento por partilharem hospitais e escolas com os refugiados.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud