Lusófonos “têm a oferecer boas práticas” nas questões sobre a população
BR

28 março 2017

Declaração é da diretora designada do Fundo das Nações Unidas para a População em Genebra; portuguesa Mónica Ferro destaca grupo de países como sua “área de maior domínio”.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

A ex-parlamentar portuguesa Mónica Ferro representará, a partir da próxima semana, o Fundo das Nações Unidas para a População, Unfpa, em Genebra.

Falando à ONU News, de Lisboa, ela prometeu ação em questões ligadas aos países lusófonos. Para a nova diretora, a sua experiência com populações de língua portuguesa permite que essa seja a “área que mais domina”.

Mortalidade

Ferro citou o desempenho de  Cabo Verde como “um exemplo de país que atingiu metas ligadas à população” até 2015. O arquipélago cumpriu as metas globais de redução da mortalidade materno-infantil.

“É um país pequeno, mas cujo exemplo pode ser replicado noutros países com dimensão igual. Não conseguimos reproduzir o que aconteceu em Cabo Verde num país como Moçambique. É muito diferente. Mas nós temos países que superaram alguns desafios que nós identificamos como prioritários. Poderão sempre ser recordados, ser debatidos, ser chamados ao debate no sentido de poderem ser fornecedores de boas práticas.”

Cabo Verde reduziu a pobreza em mais de 20% desde o ano 2000. O acesso universal ao ensino primário e a promoção da igualdade do gênero caminharam no mesmo sentido no arquipélago.

Boas Práticas

A representante falou do contexto português destacando a vontade política, o investimento e os apoios técnico e financeiro que em20 anos mudaram a situação em Portugal.

image
Foto: Banco Mundial/Gulbakyt Dyussenova

“Portugal tem uma responsabilidade acrescida de partilha de boas práticas porque no início da década 70 tinha taxas de mortalidade materna e mortalidade infantil, as duas estão sempre intimamente ligadas, que não eram as que se esperava ver num país no contexto europeu. Eram taxas duras, eram taxas muito pesadas.”Para Mónica Ferro,  apoio dado pelas Nações Unidas para o seu país foi uma “vitória de direitos humanos e um sinal de desenvolvimento”.

Em Genebra e à frente do Escritório Regional do Fundo da ONU para a População,  a representante vai responder pelos contactos com agências, missões diplomáticas e organizações internacionais com sede na cidade suíça.

*Apresentação: Monica Grayley.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud