PMA quer alargar combate ao abandono escolar na Guiné-Bissau

28 março 2017

Agência entrega de refeições para ajudar crescimento físico e cognitivo das crianças guineenses; reservas atuais contam com mais de 22 mil toneladas de alimentos para cinco anos; projeto contempla mais de 700 escolas do país.

Amatijane Candé, de Bissau para a ONU News.

O Programa Alimentar Mundial, PMA, serve pelo menos uma refeição por dia a mais de 60 % de alunos do ensino básico e pré-escolar na Guiné-Bissau. O apoio é dado no âmbito da ação da agência em projetos de  desenvolvimento.

A Guiné-Bissau tem uma taxa de literacia de 50%, sendo o abandono escolar de 20%. A representante do PMA no país, Kiyomi Kauaguchi, disse à ONU News, em Bissau, que a ação visa combater a insegurança alimentar e nutricional.

Crescimento

“Pelo menos, comem na escola e já não precisam comer em casa e ajuda a família, esta é parte também do nosso propósito. Aqui a dieta mais desejada é arroz, arroz e arroz, e que não tem toda a nutrição: vitaminas, micronutrientes, proteínas que elas precisam para um crescimento físico e cognitivo de forma mais desejável”.

A alimentação escolar na Guiné-Bissau está alinhada com o Plano Estratégico e Operacional “Terra Ranka”, que prevê o desenvolvimento humano e beneficia atualmente cerca de 173 mil crianças.

Falando das perspetivas futuras, a representante destacou um projeto-piloto de aquisição local dos alimentos.  O projeto precisa de financiamento e o fato dos doadores darem produtos no lugar de fundos não facilita o seu desenvolvimento.

Investimento

“Queremos que este projeto seja nacional e sustentável. Estamos também desenvolvendo um programa de pilotagem para compra local em 65 comunidades em Bafatá, com produtores locais particularmente agricultores de pequena magnitude para que as escolas comprem deles e para que o investimento fique na comunidade”.

A responsável disse que as outras metas são: combate ao abandono escolar, sobretudo das meninas e promoção da economia familiar.

Desafios e perspetivas

As refeições consistem em alimentos básicos para o crescimento como: arroz, feijão e peixe enlatado, produtos com valor energético adequado e proteínas.

A aquisição de frutas frescas e legumes no mercado interno permanece um dos grandes desafios logísticos da cantina escolar, segundo Kiyomi Kauaguchi.

O programa quinquenal do PAM com o governo da Guiné-Bissau está alinhado com o desafio fome zero do secretário-geral das Nações Unidas e a erradicação da fome até 2030, um dos objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud