Presidente da CSW: “luta pela igualdade de gênero é da sociedade em geral”
BR

24 março 2017

Embaixador brasileiro Antonio Patriota afirmou que essa luta vai beneficiar a todos: ele disse que o setor privado tem um grande papel a desempenhar na questão da paridade salarial entre homens e mulheres; reunião de duas semanas terminou esta sexta-feira.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

O presidente da 61ª reunião da Comissão sobre o Estatuto da Mulher, CSW, Antonio Patriota, afirmou que “a luta pela igualdade de gêneros é uma luta da sociedade em geral e não só das mulheres”.

O encontro de duas semanas realizado na sede da ONU em Nova Iorque terminou esta sexta-feira. Patriota afirmou que essa luta vai beneficiar a todos “economicamente, politicamente e socialmente”.

Setor privado

Em entrevista exclusiva à ONU News, o embaixador brasileiro falou sobre a importância do setor privado nesse sentido.

“O setor privado tem um grande papel a desempenhar e um dos temas que emergiu da conversa esse ano na CSW foi a responsabilidade do setor privado. Por exemplo, se olharmos para a questão da remuneração igual por trabalho equivalente, no setor público ela existe de um modo geral, no mundo inteiro. Não há discriminação salarial entre pessoas que desempenham a mesma função no setor público. É no setor privado onde se identifica a maior discrepância.”

O presidente da CSW disse que nesse ano os participantes do encontro abordaram especificamente o empoderamento econômico das mulheres.

Alianças

Ele afirmou que na pauta estiveram temas além da paridade salarial, a questão das licenças maternidades pagas e da partilha mais equitativa das tarefas domésticas.

“Esta sessão de 2017 teve um papel muito interessante em identificar alianças ao interior dos países que devem ser formadas para implementação desses objetivos que nós estamos negociando. Então, alianças entre governos, setor privado, sociedade civil, a imprensa e o meio acadêmico para acelerar a promoção da igualdade porque se continuarmos apenas observando a tendência atual não alcançaremos os objetivos dentro dos prazos acordados aqui nas Nações Unidas.”

Patriota disse ainda que o fato de a ONU ter como secretário-geral António Guterres “é uma garantia de que a igualdade de gênero vai permanecer no topo da agenda da organização”.

Notícias relacionadas:

"Maiores desafios às mulheres são violência e desigualdade", diz Brasil

As mulheres têm de se afirmar e ir à luta, nada é de mão beijada", diz deputada

Atriz Patricia Arquette junta-se à ONU para defender igualdade salarial

CSW inicia com forte apoio à igualdade de gêneros e direitos das mulheres

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud