Ex-líder da RD Congo fica mais um ano preso por influenciar testemunhas

22 março 2017

Jean-Pierre Bemba deve ficar 19 anos na cadeia após ter sido condenado por crime de guerra; TPI condenou mais quatro réus por delitos “contra a administração da justiça”.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

O Tribunal Penal Internacional, TPI, decidiu esta quarta-feira que o ex-vice-presidente da República Democrática do Congo, Jean-Pierre Bemba, deve ficar mais um ano preso por tentar influenciar testemunhas.

De acordo com o veredicto, o réu deve pagar € 300 mil em três meses que serão transferidos pelo tribunal para um fundo para as vítimas. No ano passado, Bemba foi condenado a 18 anos de prisão por crimes de guerra.

Falsas declarações

O júri liderado pelo juiz Bertram Schmitt determinou que Bemba e outros quatro réus eram culpados por vários delitos “contra a administração da justiça, tais como falsas declarações dadas por testemunhas de defesa.”

Uma nota do tribunal explica que o tempo da pena de Bemba não será deduzido, porque a diminuição já foi feita no processo principal.

O grupo condenado inclui o seu advogado Aime Kilolo, que deve pagar uma multa de € 30 mil e dois anos e meio de pena suspensa.

Os outros réus tiveram a mesma punição ou dedução do tempo de prisão. Trata-se do membro equipa de defesa, Jean Jacques Mangeda,  do deputado congolês Fidele Babala e do perito Narcisse Arido que participou na defesa de Bemba.

Notícias relacionadas:

Tribunal da ONU condena Jean-Pierre Bemba por crimes de guerra

TPI condena ex-vice-presidente da RD Congo a 18 anos de prisão

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud