OIM aumenta operação na Somália para minimizar efeitos da seca

3 março 2017

Ações da agência no próximo trimestre devem custar US$ 24 milhões; queda dos índices de nutrição acompanha baixa dos salários, aumento de preços alimentares e perda de animais.  

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

A Organização Internacional para Migrações, OIM, anunciou esta sexta-feira o envio de várias equipas para ajudar a acelerar ações para minimizar os efeitos da seca na Somália.

Os profissionais devem atuar em áreas como saúde, abrigos, água, saneamento, proteção e segurança alimentar.

Plano

A agência anunciou que vai continuar a operar com parceiros humanitários e o governo somali para ter acesso ao maior número possível de pessoas.

O plano da OIM está orçado em US$ 24,6 milhões, mas agência também vai colaborar com várias outras entidades para o sucesso da entrega da ajuda humanitária.

Preços

A seca está a piorar no país do Corno de África num momento em que os salários estão em colapso, os preços alimentares sobem e mais animais morrem. Essa tendência também faz subir as taxas de desnutrição.

Os desafios incluem o aumento dos preços de água e o risco de doenças, da perda de meios de subsistência e de mortes na Somália.

As Nações Unidas estimam que 6,2 milhões pessoas estejam afetadas pela seca, um número equivalente à metade da população.

Notícias relacionadas:

Acesso a alimentos teve baixa dramática nas áreas de conflito

Acnur: países mais pobres são os que mais dão refúgio

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud