Países africanos celebram benefícios da merenda escolar

1 março 2017

PMA realça que cada dólar investido na iniciativa pode-se multiplicar; São Tomé e Príncipe promete mais parcerias na área em 2017; escritório da agência em Moçambique sublinha interesse do Brasil em ajudar reforço do programa.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

Assinala-se este 1º março o Dia Africano de Alimentação Escolar que este ano destaca a iniciativa como “um investimento, não apenas um gasto dos orçamentos nacionais.”

São Tomé e Príncipe está entre as nações onde a também chamada merenda escolar é considerada como tendo grande impacto. O Programa Mundial de Alimentação, PMA, abrange 45 mil alunos do arquipélago.

Prato quente

Falando recentemente à ONU News, o encarregado interino do escritório da agência no país, Diógenes dos Santos, disse que garantir um prato quente diário a um quarto dos são-tomenses exige a busca de experiências além-fronteiras.

“Esperamos ainda este ano financiar visitas de estudo para esses países, como é o caso de Cabo Verde que está numa fase mais avançada do que São Tomé. Tirando o aspeto climático pode-se perfeitamente conseguir semelhanças muito interessantes. Vamos explorar essa opção. Moçambique é uma opção e exemplos no continente de países que veem utilizando essa fórmula que já tem os primeiros resultados. Vamos ver como podemos ajudar São Tomé nesta fase de transição.”

O PMA defende que a renda de comunidades locais aumenta quando a sua produção agrícola encontra um mercado pronto, como o da alimentação escolar.

Alianças

Moçambique é um dos exemplos da busca de parcerias tanto locais como internacionais para impulsionar a iniciativa. A representante da agência no país, Karin Manente, falou de potencial de colaboração, alianças e parcerias.

“Fazemos a ligação entre os pequenos produtores e a escola. As famílias de produtores também fazem parte do comité escolar. Assim há uma inclusão da economia do distrito mesmo da parte de fornecimento de alimentos, na economia da escola e na gestão. Isso ajuda na sustentabilidade do programa. Temos o apoio, o governo brasileiro também tem interesse em apoiar essa área, e um programa que se chama Purchase From Africans to Africans.”

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, sublinha que um dólar investido na merenda escolar pode-se multiplicar “quando as crianças beneficiárias crescerem e se tornarem adultos com habilidades e potenciais de trabalho.”

Transição

A agência defende que os ganhos do programa de alimentação escolar “são a curto, médio e longo prazos para as crianças africanas na transição da infância para a vida adulta e produtiva”.

A iniciativa também garante espaço para que “jovens estejam envolvidos na produção de alimentos para as escolas e contribui para a redução do desemprego e para a geração de renda em suas comunidades”.

O ponto alto da celebração do Dia Africano de Alimentação Escolar será em Brazzaville, no Congo, com debates, envolvimento de parceiros e experiências de alimentação escolar em países do continente.

As celebrações incluem eventos em escolas que terão a participação de estudantes, professores e comunidades.

Notícias relacionadas: 

PMA lança alimentos para 100 mil sul-sudaneses durante esta semana

Iraque: PMA alerta para "relatos desesperados" de famílias em Mossul

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud