Resolução da ONU endossa reformas na operação da ONU na Guiné-Bissau

23 fevereiro 2017

Conselho de Segurança aprova reorganização que deve ajustar ações políticas e de desenvolvimento da organização no país; para os 15 Estados-membros, crise institucional impede avanço da agenda nacional de reformas.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

O Conselho de Segurança estendeu esta quinta-feira o mandato do Escritório Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau, Uniogbis, até fevereiro de 2018.

A adoção unânime da resolução pelos 15 Estados-membros foi confirmada na voz do embaixador da Ucrânia, Volodymyr Yelchenko, que este mês ocupa a presidência do Conselho.

Política e Desenvolvimento

O documento endossa a proposta de reestruturação que prevê integrar a missão política às atividades de desenvolvimento no país africano. A ideia é “reorientar os esforços” para impulsionar as capacidades e o papel político de facilitação e racionalizar a sua estrutura de gestão.

Num informe apresentado no princípio de fevereiro, o secretário-geral pediu reformas na “postura operacional” da Uniogbis para reforçar as capacidades políticas com a libertação de recursos das capacidades programáticas.

Crise

O Conselho expressa preocupação com as persistentes dificuldades políticas e institucionais e a crise que envolve o presidente, o primeiro-ministro, o presidente do Parlamento e partidos políticos.

Para o órgão, a situação “tem impedido o avanço da agenda nacional de reformas e ameaça minar os progressos realizados desde o restabelecimento da ordem constitucional na Guiné-Bissau após as eleições de 2014.”

Implementação

O Conselho endossa o Acordo de Conacri assinado pelos atores guineenses em outubro passado. O entendimento definiu um plano para a implementação do roteiro adotado para resolver a crise política.

A resolução apela às partes interessadas a respeitarem rigorosamente o entendimento e o roteiro.

O Conselho aprovou ainda a continuação do regime de sanções, tal como as resoluções dos últimos dois anos.

Notícias relacionadas:

Guterres reafirma compromisso da ONU com processo de descolonização

Países que apoiam Guiné-Bissau reiteram confiança no Acordo de Conacri

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud