ONU: proteção e abrigo de civis iraquianos devem ser prioridade
BR

21 fevereiro 2017

Agência de refugiados calcula que 250 mil podem ficar deslocados com nova ofensiva militar em Mossul;  desde início da operação em outubro, 217 mil fugiram da violência na região.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

A agência da ONU para Refugiados afirmou esta terça-feira que a prioridade no Iraque deve ser novamente a proteção e abrigo de civis deslocados pelo conflito no país.

Em Genebra, o porta-voz do Acnur, Matthew Saltmarsh, fez a declaração a jornalistas ao mencionar a ofensiva militar das forças iraquianas para retomar a parte oeste de Mossul, controlada pelo grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil.

Controle

Segundo Saltmarsh, aproximadamente 250 mil pessoas podem ficar deslocadas com a nova operação, sendo que desde o início da ofensiva, em 17 de outubro no leste de Mossul, quase 217 mil fugiram da cidade.

O Acnur calcula que 160 mil iraquianos continuam sem poder voltar para casa por causa da violência na região.

No terceiro dia da ofensiva militar, as tropas iraquianas conseguiram assumir o controle de várias cidades no lado oeste de Mossul.

Água potável

O Acnur tem como foco agora a construção de um acampamento para abrigar deslocados pelo conflito. A agência já tem oito acampamentos em funcionamento na área.

O porta-voz alertou também para a falta de comida, água, combustível e remédios na região. Metade do comércio está fechado e a maioria das pessoas não tem acesso à água potável.

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, está enviando comida para 770 mil pessoas na região.

Notícias relacionadas:

Agências da ONU se preparam para operações militares no oeste de Mossul

Operação em Mossul completa 100 dias; 750 mil em risco na região

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud