Conselho de Segurança da ONU debate conflitos na Europa
BR

21 fevereiro 2017

Para secretário-geral, António Gueterres, países europeus têm estado na “linha de frente da prevenção de conflitos” nos últimos 70 anos; no entanto, ele afirmou que “crises na Geórgia, em 2008, e na Ucrânia, em 2014, mostram que a Europa permanece em risco de novos focos de conflito”.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas realiza nesta terça-feira um debate aberto sobre conflitos na Europa.

No encontro, o secretário-geral da ONU, António Guterres, lembrou que os dois conflitos globais que ocorreram no continente na primeira metade do século XX tiveram um papel na fundação das Nações Unidas e no Conselho, que “nasceu da convicção que tais guerras podem e devem ser evitadas”.

Prevenção

Segundo Guterres, nos últimos 70 anos, os países da Europa têm estado na “linha de frente da prevenção de conflitos”. Para o chefe da ONU, “instituições europeias mostram eficácia em ligar países com mecanismos baseados em regras para resolver diferenças sem recorrer à violência”.

No entanto, o secretário-geral afirmou que não se pode considerar a paz e prosperidade europeias como garantidas, alertando que “a transição para um mundo multipolar está criando imprevisibilidade e riscos maiores”.

Chipre

Ele ressaltou que a ONU está liderando algumas ações relacionadas à paz na Europa, incluindo negociações para uma solução “abrangente e durável” para a questão em Chipre.

Guterres destacou que as Nações Unidas, e ele pessoalmente, estão à disposição das duas comunidades cipriotas e dos países avalistas “para apoiar a busca de uma solução que seja aceitável a todos”.

Ucrânia

O secretário-geral declarou ainda que as “crises na Geórgia, em 2008, e na Ucrânia, em 2014, mostram que a Europa permanece em risco de novos focos de conflito”.

Para o chefe da ONU, o “trágico conflito em curso” na Ucrânia que, segundo ele, mostra que “violência localizada tem o potencial de escalar para confrontos mais sérios”.

Guterres declarou que, em conformidade com resoluções do Conselho de Segurança e da Assembleia Geral, as Nações Unidas permanecem comprometidas em apoiar uma solução pacífica do conflito, de maneira que defenda plenamente a soberania, integridade territorial e independência da Ucrânia”.

Paz e desenvolvimento

O secretário-geral defendeu que conflito na Europa não é apenas uma tragédia para os que são envolvidos diretamente: mortos, feridos, deslocados ou pessoas que perdem parentes e amigos, acesso a serviços de saúde e anos de educação

Ele afirmou que conflitos também estão revertendo ganhos de desenvolvimento e impedindo comunidades e sociedades de atingirem seu pleno potencial e contribuírem com prosperidade regional e global.

Guterres ressaltou que “avanço econômico e desenvolvimento sustentável são baseados em paz de longo prazo que, por sua vez, exigem paz e segurança e respeito pelos direitos humanos”.

Notícias Relacionadas:

Guterres destaca necessidade de "impulso à diplomacia para paz"

Unicef alerta que 1 milhão de crianças precisam de ajuda na Ucrânia

Guterres: Acordo em Chipre pode ser um “símbolo de esperança” para o mundo 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud