Perspectiva Global Reportagens Humanas

Missão da ONU apreensiva com novos “grupos paralelos” na Líbia

Trípoli, Líbia. Foto: Unsmil/Abbas Toumi

Missão da ONU apreensiva com novos “grupos paralelos” na Líbia

Relatos dão conta da implantação de bandos em áreas que incluem Trípoli; operação quer rapidez na ativação da polícia e das forças de segurança; mediador quer reforço do diálogo político.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

A Missão das Nações Unidas na Líbia, Unsmil, anunciou que acompanha com preocupação os relatos sobre a formação de forças militares paralelas, sob o nome de “Guarda Nacional” no país.

Um comunicado divulgado pela operação de paz destaca uma alegada implantação desses elementos na capital Trípoli e em áreas vizinhas.

Apoio

O representante especial do secretário-geral para a Líbia, Martin Kobler, reiterou o seu total apoio ao Acordo Político e às suas instituições do país.

Ele revelou que se opõe a grupos líbios que “pretendem obter ganhos políticos pela força”. Para o também mediador do diálogo entre as partes do conflito, as tentativas de criar organismos paralelos que barrem a implementação do Acordo vai gerar mais desordem e insegurança.

O apelo às autoridades é que formem um exército líbio unido que atue “sob controlo civil e com uma clara cadeia de comando, que forneça segurança a todos os líbios”.

Ilegalidade

Kobler solicitou ainda a rápida ativação da polícia e das forças de segurança para proteger os líbios do crime e da ilegalidade.

O representante reiterou o apoio ao Conselho da Presidência como autoridade executiva legítima na Líbia e pediu um esforço renovado para a implementação do acordo de paz.

Kobler termina a nota com um apelo a um diálogo político reforçado com base nos princípios da inclusão e do entendimento, bem como nos esforços de reconciliação nacional.

*Apresentação: Denise Costa.

Notícias relacionadas:

Ameaça colocada por redes terroristas é "cada vez mais complexa"

Guterres tem discussões construtivas sobre Iêmen e Líbia