Refugiados do Sudão do Sul ultrapassam marca de 1,5 milhão

10 fevereiro 2017

Um terço dos sul-sudaneses saiu do país nos últimos quatro meses; Uganda acolhe cerca de metade dos cidadãos; mais de 2,1 milhões de pessoas vivem como deslocadas no mais novo país do mundo.   

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, chama a atenção para um “deslocamento de grande escala no Sudão do Sul”, que transformou a crise do país na maior de África.

Nos últimos quatro meses mais de 500 mil pessoas fugiram dos confrontos que se agravaram em julho com o colapso do acordo de paz.

Dimensão

Uma nota lançada esta sexta-feira revela que com os mais de 1,5 mil refugiados atuais a situação sul-sudanesa é a terceira maior do planeta, depois da crise de refugiados da Síria e do Afeganistão. O país africano tem mais de 2,1 milhões de deslocados.

Apesar dessa dimensão, o Acnur destaca que as necessidades de auxílio para a crise recebem pouca atenção e que a falta de financiamento atingiu níveis crónicos.

A agência citou recém-chegados que relatam o sofrimento devido a “intensos combates, sequestros, estupros, medo de grupos armados e ameaças” além de uma aguda falta de alimentos no país.

O Acnur menciona que a tendência é que os que deixam o Sudão do Sul sejam hospedados pelas comunidades mais pobres dos países vizinhos, que já estão sob imensa pressão com a falta de recursos.

Desnutrição

O Uganda acolhe cerca de 698 mil sul-sudaneses, que correspondem a 46% do total de pessoas que foram forçadas a deixar o seu país em busca de segurança desde dezembro de 2013.

Mais de 60% dos refugiados são crianças. Várias delas continuam a chegar nos locais de acolhimento com níveis alarmantes de desnutrição e “marcas das brutalidades” do conflito.

O apelo às partes envolvidas é que encontrem uma solução pacífica e urgente da crise porque milhares continuam a chegar aos países vizinhos que incluem Etiópia, Sudão, Quénia, Republica Democrática do Congo e República Centro-Africana.

*Apresentação: Denise Costa.

Notícias relacionadas:

Refugiados somalis morrem numa perseguição a contrabandistas no Iémen

ONU quer clareza sobre futuro de ex-combatentes sul-sudaneses na RD Congo

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud