Ocha: mais de 128 milhões precisam de ajuda humanitária no mundo
BR

9 fevereiro 2017

Alerta foi feito pelo coordenador de Assuntos Humanitários da ONU; Stephen O'Brien afirmou que necessidades estão aumentando; agência da ONU fala sobre o que chamou de "12 crises esquecidas".

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

O Escritório da ONU para Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, afirmou que mais de 128 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária para sobreviver em 33 países.

O chefe do Ocha, Stephen O'Brien, disse que a necessidade humanitária está aumentando no mundo, levada por conflitos que não têm fim e efeitos de desastres naturais que permanecem por vários anos.

Crises esquecidas

Segundo O'Brien, "com esse nível alarmante de necessidades, mais do que nunca, os líderes mundiais devem aumentar o apoio às pessoas mais vulneráveis. O chefe do Ocha falou sobre as chamadas "12 crises esquecidas".

Ele citou a guerra no Afeganistão que forçou a fuga de mais de 1 milhão de pessoas de suas casas, principalmente no norte e sul do

image
Crianças brincando em local para deslocados em Damatura, no nordeste da Nigéria. Foto: Ocha/Otto Bakano

país, onde os extremistas Talibãs controlam várias regiões.Na Coreia do Norte, O'Brien afirmou que 60% da população vive numa situação de insegurança alimentar; isso corresponde a 15 milhões dos quase 25 milhões de habitantes.

Na República Centro-Africana, o representante da ONU diz que a crise política deixou mais da metade da população necessitando de ajuda.

Conflitos armados

Na República Democrática do Congo, os conflitos armados e a insegurança criaram uma das mais complexas crises humanitárias do mundo, com mais de 7,3 milhões de pessoas afetadas.

Na região do Lago Chade, a violência e o terror espalhados pelo grupo terrorista Boko Haram atingem quatro países: Camarões, Chade, Níger e Nigéria, afetando 30 milhões de pessoas, sendo que 11 milhões precisam de assistência urgente.

O'Brien cita ainda as crises na Líbia, no Mali, em Madagáscar e na região do Sahel. Somália, Uganda e Iêmen completam a lista.

image
Deslocados internos forçados a deixarem suas casas pelo Boko Haram e pela degradação ambiental, agora morando no Chad. Foto: Ocha/Ivo Brandau

No Iêmen, por exemplo, o chefe humanitário disse que uma criança com menos de cinco anos morre a cada 10 minutos no país, de causas evitáveis.O'Brien afirmou que nenhum dos 37 países incluídos no apelo humanitário de 2016 recebeu 100% do dinheiro pedido para cobrir suas necessidades. Em média, cada um ficou com menos de 40% do que precisava.

Leia Mais:

ONU e parceiros lançam maior apelo humanitário já feito para o Iêmen

Nove países negligenciados vão receber US$ 100 milhões das Nações Unidas

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud