Agências da ONU avaliam parceria com Guiné-Bissau até 2020

3 fevereiro 2017

Cooperação visa contribuir para o desenvolvimento do país; Nações Unidas apoiam realização das prioridades como acesso a serviços de saúde, nutrição e água.

Amatijane Candé, de Bissau para a ONU News.  

Agências das Nações Unidas reuniram parceiros, representantes da sociedade civil e autoridades para rever e validar o plano trienal de trabalho para implementar o Eixo 3 do Quadro de Parceria entre a Guiné-Bissau e as Nações Unidas, Unpaf.

As áreas em destaque incluem o acesso aos serviços de saúde, nutrição e água. Nesses setores estão previstas ações no saneamento, na higiene, na educação e na proteção de qualidade.

Desenvolvimento

Falando no ato inaugural da reunião, a representante da Unicef no país apontou o Unpaf como principal documento entre a ONU e o governo até 2020. Para Christine Jaulmes, o documento reflete a expressão da vontade das duas partes em reforçar ainda mais a parceria existente.

“Constitui a expressão da vontade comum das duas partes de reforçar ainda a sua parceria com o objetivo de contribuir no desenvolvimento do país, no combate a pobreza e na realização dos direitos humanos, incluindo o direito das crianças.”

O encontro ficou marcado pela apresentação da visão global do Unpaf, ligado ao Plano Estratégico e Operacional “Terra Ranka” e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

Cooperação

Trata-se da cooperação entre o governo, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e o Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud, para apoiar as autoridades a realizar o plano estratégico e operacional nos próximos três anos.

A outra meta é fomentar um crescimento económico inclusivo e sustentável em resposta às aspirações dos guineenses como vem previsto no plano conhecido como Terra Ranka.

Quatro Eixos

De acordo com a representante da Unicef, o processo de elaboração do documento foi liderado pelo governo e contou com a participação das organizações da sociedade civil e do setor privado. Ela destacou as prioridades da intervenção estratégica e do contributo da equipa das Nações Unidas.

“A governação, o Estado de direito e a participação democrática; o crescimento económico inclusivo e sustentável para a redução da pobreza; promoção da gestão sustentável do ambiente dos recursos naturais e prevenção de catástrofes.”

O quadro de parceria reafirma os compromissos da declaração de Paris sobre a eficácia da ajuda ao desenvolvimento e da agenda para ação de Acra.

A cerimónia inaugural do encontro foi presidida pelo secretário de estado do plano e da integração regional, José Biai.

Notícias relacionadas:  

Países lusófonos tentam ajudar no diálogo político da Guiné-Bissau

Entrevista: Consolidação da paz na Guiné-Bissau

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud