OMS alerta que mundo deve se preparar para combater zika a longo prazo
BR

2 fevereiro 2017

Diretora-geral da agência da ONU afirmou que houve progresso na busca de uma vacina; entre maio de 2015 e dezembro de 2016 foram registrados 707 mil casos da doença.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

Um ano depois da declaração de Emergência de Saúde Pública por causa do vírus da zika, a Organização Mundial da Saúde, OMS, disse que um bom progresso foi alcançado no desenvolvimento de uma vacina.

O especialista em zika da OMS, Ian Clarke, disse que os técnicos da agência da ONU trabalharam com mais de 40 medicamentos experimentais candidatos a vacinas. Os testes devem continuar por mais três ou quatro anos até que o produto final esteja pronto.

Longa jornada

A OMS registrou 707 mil casos de zika de maio de 2015 a dezembro de 2016.

Em novembro, a agência suspendeu a situação de emergência de saúde pública. Mas mesmo assim, a diretora-geral da organização, Margaret Chan, afirmou na quarta-feira que o mundo deve se preparar para uma longa jornada no combate ao vírus.

Ela lembrou que no início do ano passado todos começaram a ver imagens de bebês com microcefalia, no Brasil.

Depois de uma pesquisa mais detalhada, os cientistas descobriram que o vírus da zika era a causa do problema, como também da síndrome Guillain Barré, que causa paralisia.

O virus da zika é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. As pessoas infectadas têm sintomas que podem incluir febre, rachaduras na pele, conjuntivite, mal-estar e dores musculares e de cabeça.