Para ONU, medidas recentes dos EUA não são melhor forma de proteção
BR

1 fevereiro 2017

Declaração foi dada por secretário-geral, António Guterres, em entrevista a correspondentes na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, ao ser perguntado sobre ordem executiva assinada por presidente norte-americano, Donald Trump, em 27 de janeiro.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.*

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou esta quarta-feira que a medida adotada pelos Estados Unidos para proibir a entrada de estrangeiros de determinadas nações em seu território “não é a melhor forma de proteger o país de uma possível infiltração terrorista”.

Falando a jornalistas na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, Guterres fez um apelo para que essas medidas sejam retiradas “o mais rápido possível”. Ele também comentou a cooperação da ONU com os Estados Unidos e outros países.

Diálogo construtivo

Falando em inglês, Guterres disse que “todas as coisas complicadas têm uma resposta fácil”. Segundo ele, “a resposta é ser firme ao avaliar todos os princípios, e (ser) aberto e engajado em um diálogo construtivo”.

O secretário-geral afirmou que esta é a combinação que ele usará nos contatos com o governo norte-americano e com outros governos.

Ao falar sobre o processo de reassentamento de refugiados, que teria sido congelado com a ordem executiva do presidente Donald Trump, Guterres disse que o reassentamento é fundamental sob o ponto de vista de proteção de refugiados.

Reassentamentos

O chefe da ONU explicou que os Estados Unidos sempre estiveram na linha de frente dos reassentamentos e os sírios são agora os que mais necessitam de ajuda.

Ele espera que o governo americano restabeleçam o programa de reassentamento de refugiados e que os sírios não sejam excluídos desse processo.

Guterres afirmou ainda que a comunidade internacional está lidando com organizações terroristas altamente avançadas. O chefe da ONU disse que se uma organização terrorista tentar atacar qualquer país, como os Estados Unidos, os extremistas não usarão passaportes de nações em conflito.

Pontos importantes

Ao ser indagado se apoiava a criação de “áreas de segurança” para refugiados na Síria, proposta feita pelos governos americano e turco, o secretário-geral disse que esse conceito tem sido usado em diferentes significados e situações.

Mas Guterres citou três pontos importantes sobre essas regiões. A primeira é que a ONU não tem nada contra a criação de áreas, onde as pessoas possam viver em segurança.

Em segundo, isso não pode minar nunca o direito de buscar asilo. Elas devem ter a possibilidade de sair desses lugares se o desejarem. E por fim, segundo ele, o mundo já presenciou uma história de vários tipos de “áreas seguras”.

Ele deu como exemplo Srebrenica, que era uma área considerada segura e onde ocorreu um massacre em 1995, quando bósnios-sérvios invadiram o local e mataram milhares de bósnios-muçulmanos.

* Apresentação: Monica Grayley.

Leia mais:

Guterres diz que países têm direito de controlar fronteiras

Secretário-geral diz esperar que medidas dos EUA sejam temporárias

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud