Guterres diz que países têm direito de controlar fronteiras
BR

31 janeiro 2017

Em nota, emitida pelo porta-voz, secretário-geral da ONU afirmou que esse controle não pode ser baseado em qualquer forma de discriminação relacionada à religião, etnia ou nacionalidade.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou esta segunda-feira que “todos os países têm o direito e mesmo a obrigação de controlar suas fronteiras de forma responsável para evitar a entrada de membros de organizações terroristas”.

Em comunicado lido pelo porta-voz, Stephane Dujarric, Guterres disse que esse controle não pode ser baseado em qualquer forma de discriminação relacionada à religião, etnia ou nacionalidade.

Princípios e valores

Ao explicar os motivos, o porta-voz afirmou que a discriminação vai contra os princípios e valores fundamentais sob os quais as sociedades são baseadas.

O controle gera ansiedade e ódio generalizados que podem facilitar a propaganda das próprias organizações terroristas que todos querem combater.

Além disso, “medidas sem base em informações de inteligência sólidas, tendem a ser ineficazes e correm o risco de serem superadas pelos sofisticados movimentos terroristas globais atuais”.

Conflitos e perseguição

Guterres se mostrou particularmente preocupado por decisões tomadas em todo o mundo que minam a integridade do regime internacional de proteção de refugiados.

O chefe da ONU disse que os refugiados que fogem de conflitos e perseguição estão encontrando cada vez mais fronteiras fechadas.

Guterres afirmou ainda que os refugiados estão encontrando acesso mais restrito à proteção que precisam e que têm o direito de receber de acordo com a lei internacional sobre refugiados.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud