Jovens debatem desemprego e desigualdade na ONU
BR

31 janeiro 2017

Fórum da Juventude reúne centenas de jovens de várias partes do mundo nas Nações Unidas; a ONU News entrevistou três deles para saber como eles podem ajudar a resolver esses problemas.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

O Fórum da Juventude 2017 entra esta terça-feira no seu segundo e último dia com a ideia de discutir o papel dos jovens para erradicar a pobreza e promover os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Para descobrir como isso pode ser feito, a ONU News entrevistou três jovens que participam da reunião na sede da ONU, em Nova Iorque.

São eles: Marcela Lorenzoni, da organização Global Atitude, programa Diplomacia Civil; Lucas dos Santos, representante da organização Save the Children e Alexandre Carvalho, que é representante dos Embaixadores da Juventude, um programa da Caixa Seguradora e do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc.

Lucas dos Santos falou sobre o papel do jovem na sociedade.

“O papel do jovem primeiro é saber que tem um papel. Que tem um papel para cumprir e que tem capacidade. A gente sente uma falta de poder diária, tem uma apatia quanto à política e muita coisa. Essa sensação de se apoderar é o primeiro passo. Falta conhecimento, eu não estou culpando os jovens, eu não estou falando que falta iniciativa deles. Eu estou falando que há um buraco, falta informação.”

Marcela Lorenzoni disse que é importante democratizar o acesso à informação digital.

“A gente costuma falar de acesso à informação pensando muito no digital. A gente vive numa era em que tudo está nas redes sociais, em que tudo está online. Mas num país como o Brasil, essa conexão ainda não é universal. Então, além da gente democratizar esse acesso, que com certeza é um passo, existe um outro passo muito importante que é formar educadores, formar quem está com os jovens todos os dias porque eles têm um papel fortíssimo. Eles chegam aonde nem sempre a conexão, a internet, as redes sociais chegam e eles têm o poder de disseminar esse empoderamento com os jovens que eles veem todos os dias nas salas de aula.”

Alexandre Carvalho falou sobre o trabalho que é feito com os jovens de Brasília para combater a pobreza.

“Eu sou residente de Brasília e lá nós temos várias zonas carentes, que é o entorno do plano piloto. Eu ensino inglês para jovens através de um método criado por mim que não somente facilita o aprendizado de inglês mas eu faço com que eles se transformem em professores do método. Eu ensino a eles inglês e no processo eu ensino e os capacito a serem professores da comunidade. Então como isso, eu forneço não somente o aprendizado do inglês mas a mão de obra. Essa é a minha forma de ver como a gente pode lutar contra a pobreza, é não só ensinar as pessoas mas prover autonomia do processo do aprendizado.”

Na abertura do encontro nesta segunda-feira, o secretário-geral da ONU, António Guterres disse que 74 milhões de jovens em todo o mundo não conseguem encontrar um trabalho.

Notícias relacionadas:

ONU quer mobilizar jovens em ações globais para erradicar a pobreza

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud