Cimeira da União Africana tem apelo em prol das raparigas com Sida

31 janeiro 2017

São 8,6 mil novas infeções por semana; em evento paralelo à reunião que decorre em Adis Abeba, diretor da Onusida lamenta lacuna entre retórica e implementação de programas de género; mais da metade dos que vivem com HIV no continente são mulheres.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.

Segundo o Programa Conjunto da ONU sobre HIV/Sida, Onusida, novas infeções por HIV atingiram 310 mil raparigas entre 15 e 24 anos no continente africano, isso em 2015.

O volume equivale a 8,6 mil novos casos de Sida por semana entre as raparigas de África. O leste e o sul do continente têm 19 milhões de pessoas com o vírus, sendo que 59% são mulheres. Elas também representam mais da metade entre todas as pessoas com HIV nas zonas oeste e central do continente.

Apoio internacional

As estatísticas foram discutidas durante um pequeno almoço especial sobre género, durante a Cimeira da União Africana, a decorrer em Adis Abeba, na Etiópia.

O diretor-executivo do Onusida, Michel Sidibé, esteve presente, ao lado dos embaixadores da Austrália, do Canadá e da Suécia, de ministros e de representantes da sociedade civil e do setor privado.

O encontro teve em vista conseguir mais apoio internacional em prol das adolescentes e das jovens mulheres africanas. Michel Sidibé declarou que “depois de mais de 35 anos de cartas, declarações e acordos, ainda existe uma grave lacuna entre retórica e implementação de programas sobre igualdade de género”.

Parceria

No evento, o Ministério do Desenvolvimento Internacional da Austrália lançou uma parceria com a União Africana, no valor de US$ 1 milhão. O financiamento segue para a criação de um observatório de género, que deverá produzir estratégias anuais e informações sobre as condições das mulheres em África.

Por sua vez, o embaixador canadiano na Etiópia, Philip Baker, afirmou que o Canadá terá um programa internacional com foco na igualdade de género. O secretário-geral da ONU também participa na Etiópia da Cimeira da União Africana.

Na segunda-feira, António Guterres defendeu o empoderamento das mulheres e ressaltou que a paridade de género é uma das prioridades de sua gestão.

Notícias Relacionadas:

Guterres é aplaudido ao defender em Cimeira Africana poder para mulheres

Nações Unidas reafirmam apoio absoluto ao desenvolvimento da África

ONU e União Africana preocupadas com violência no Sudão do Sul 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud