ONU e União Africana preocupadas com violência no Sudão do Sul
BR

29 janeiro 2017

Declaração conjunta, assinada também pela Autoridade Intergovernamental sobre Desenvolvimento, foi divulgada em Adis Abeba, onde começa nesta segunda-feira a 28ª. Cimeira dos Chefes de Estado e Governo da União Africana.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

Um comunicado conjunto, emitido neste domingo, revela que representantes da comunidade internacional estão preocupados com o que chamaram de “alastramento da violência e riscos de atrocidades em massa no Sudão do Sul.”

O texto foi firmado por União Africana, Nações Unidas e pela Autoridade Intergovernamental sobre Desenvolvimento, Igad – na sigla em inglês.

Combates

As três organizações encontraram-se em Adis Abeba, capital da Etiópia, onde começa nesta segunda-feira a 28ª. Cimeira de Chefes de Estado e Governo da União Africana.

Da reunião, dirigida pelo primeiro-ministro da Etiópia, Hailemariam Desalegn que também lidera a Igad, participaram o secretário-geral da ONU, António Guterres, e a presidente da União Africana, Nkosazana Dlamini-Zuma, além de outras autoridades.

No encontro, os líderes expressaram “preocupações profundas com a continuação do alastramento de combates no Sudão do Sul, e o risco de a violência entre comunidades escalar para atrocidades em massa”.

Para as três entidades, a situação humanitária também piora. Segundo os líderes presentes ao encontro, o conflito só poderá ser resolvido através de meios políticos e dentro do contexto do Acordo de 2015 sobre a Resolução do Conflito do Sudão do Sul.

Compromisso

A ONU, a União Africa e a Igad reafirmaram seu compromisso com a busca da paz, da segurança e da estabilidade do mais novo país do mundo. E pediram o fim dos combates e a garantia de um processo político inclusivo.

O conflito no Sudão do Sul ocorre entre facções que apoiam o presidente do país, Salva Kiir, e àquelas leais ao ex-vice-presidente Riek Machar.

Em setembro, o Conselho de Segurança da ONU autorizou o envio de uma força de 4 mil homens para Juba, capital sul-sudanesa, para ajudar a promover mais estabilidade na área.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, está na Etiópia, onde deve discursar na abertura da Cimeira da União Africana. No domingo, ele se reuniu ainda com o presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, e o presidente de Uganda, Yoweri Museveni. Será o primeiro discurso de Guterres como líder da ONU no Encontro de Chefes de Estado e Governo africanos.

Leia mais sobre a situação no Sudão do Sul na #ONUNewsPort

ONU espera consenso em África sobre estabilização do Sudão do Sul

Sudão do Sul prepara-se para receber força regional

Veja mais na nossa página do Facebook.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud