ONU renova proibição de armas contra República Centro-Africana

27 janeiro 2017

Minusca e forças da União Africana, da União Europeia e da França isentas de cumprir a medida; Estados-membros do órgão querem credibilidade e transparência dos contribuintes com tropas para investigar casos de exploração e abuso sexual.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

O Conselho de Segurança renovou esta sexta-feira as sanções impostas à República Centro-Africana até 31 de janeiro de 2018.

A proibição de material que inclui armas, munições, veículos militares e equipamentos não se aplica aos suprimentos para apoiar a Missão da ONU no país, Minusca, e às forças da União Africana, União Europeia e França.

Comité

A resolução, aprovada por unanimidade, também estende o mandato do Comité de Sanções até fevereiro do próximo ano.

A proibição foi declarada em dezembro de 2013, nove meses depois da tomada do poder dos ex-rebeldes Séléka. A situação resultou em confrontos que também envolveram o grupo anti-Balaka e outros.

No documento, o Conselho saúda a recente iniciativa do secretário-geral da ONU para aplicação rigorosa da política de tolerância zero para a exploração e abuso sexual por forças de paz.

O documento destaca ainda que é preciso que os países-membros que contribuem com as tropas e a polícia da Minusca investiguem prontamente esses casos de forma credível e transparente.

Notícias relacionadas:

Centro-africanos retornam gradualmente à casa com redução das tensões

Em Bangui, FMI defende restauração da economia centro-africana

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud