Acnur quer seguir de perto impacto de possível muro entre EUA e México
BR

26 janeiro 2017

Agência pede ao governo americano que continue a proteger os que fogem de conflitos e perseguições; segundo agências de notícias, decreto assinado por novo presidente dos Estados Unidos prevê construção de “grande barreira física” entre os dois países.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, revelou que acompanhará de perto o impacto da medida dos Estados Unidos sobre a intenção de construir um muro na fronteira com o México.

A agência comentou uma ordem executiva sobre imigração assinada na quarta-feira pelo novo presidente norte-americano Donald Trump. Segundo agências de notícias, a medida prevê a construção de uma “grande barreira física” no limite entre os dois países.

Implicações

O Acnur promete seguir as implicações da decisão para as pessoas que procuram refúgio em território americano.

A agência da ONU disse ainda que  continuará a se envolver de forma ativa e construtiva com Washington “como tem sido feito há décadas”.

A nota destaca que no atual momento de enormes necessidades para a proteção dos refugiados a expectativa é que os Estados Unidos continuem seu “forte papel de liderança e longa tradição de proteger aqueles que estão deixando os seus países de origem devido a conflitos e perseguições.”

De acordo com dados do Acnur, o mundo tem o hoje o maior número de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial. São mais de 60 milhões de pessoas.

*Apresentação: Monica Grayley.

Notícias relacionadas:

Entrevista: Situação Econômica Mundial e Perspectivas

ONU prevê fim da recessão no Brasil, mas diz que recuperação será lenta

Guterres conversa com presidente eleito dos EUA, Donald Trump

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud