ONU condena ataque suicida que matou pelo menos 15 na Somália

25 janeiro 2017

Vítimas de explosão em hotel incluem atacantes, soldados e civis; cinco jornalistas estão entre as dezenas de feridos; local é frequentado por parlamentares do país quando trabalham em Mogadíscio.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

O Escritório das Nações Unidas na Somália, Unsom, condenou o ataque suicida que esta quarta-feira provocou pelo menos 15 mortos no Hotel Dayax na capital somali, Mogadíscio.

Falando à ONU News, o porta-voz da representação da ONU para o país, Joseph Contreras, revelou que os números atualizados sobre as vítimas dão conta de até 20 mortos. O ataque foi reivindicado pelas milícias al-Shabab.

Civis

O representante disse que entre as vítimas estão os homens que provocaram o ataque, soldados somalis e mais da metade deles são civis. Ele acrescentou que cinco jornalistas estão entre as dezenas de feridos.

Para a Unsom, o incidente é motivo de grande preocupação para as partes envolvidas no processo eleitoral em 2016.

Parlamentares

Contreras contou que o hotel é frequentado por parlamentares que vivem fora da capital quando estão em Mogadíscio, mas não confirmou a presença de nenhum deputado entre as vítimas.

Três ataques ocorreram em janeiro antes do incidente. A Unsom considera que os atos são de “desespero para desencaminhar o processo eleitoral que entra agora na sua fase final, mas não vão deter a continuação do processo”.

 Notícias relacionadas:

Somália: mais de 6 mil crianças recrutadas por grupos armados desde 2010  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud