OMS acompanha investigações sobre febre amarela em Minas Gerais
BR

20 janeiro 2017

Entidade também divulga alertas epidemiológicos sobre surto; estado de Minas Gerais registrou 206 casos suspeitos e 53 mortes; há suspeitas também no Espírito Santo.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.

Uma equipe da Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, com a Organização Mundial da Saúde, OMS, está em Minas Gerais acompanhando as investigações sobre o surto de febre amarela.

A agência da ONU também divulga alertas sobre a doença. Segundo a Opas, entre os dias 1º e 18 de janeiro, o estado de Minas Gerais reportou 206 casos suspeitos e 53 mortes. São 29 municípios atingidos.

Sintomas

A Opas destaca que o Espírito Santo relatou quatro casos suspeitos de febre amarela, sendo que o estado é considerado fora da área de risco para a doença. Mas os casos em macacos foram reportados em 14 cidades do Espírito Santo.

A agência da ONU explica que o Brasil registra a febre amarela silvestre, que é uma doença hemorrágica viral aguda transmitida por mosquitos infectados. Os sintomas são: febre, dor de cabeça, icterícia, dores musculares, náusea, vômitos e fadiga.

Vacina

Segundo a Opas, nos pacientes com sintomas graves, metade morre entre sete e 10 dias após a infecção. É possível prevenir a febre amarela de forma simples, com a vacinação.

Mas a vacina não pode ser aplicada em pessoas com febre; em quem é hipersensível a ovos de galinha e derivados; em grávidas; em pessoas com câncer, leucemia, Aids ou imunodeprimidas por doenças e em bebês com menos de seis meses.

Notícias Relacionadas:

OMS chama atenção para relação entre saúde e estabilidade em África

OMS em África assinala progressos no combate à malária na Guiné-Bissau

OMS assinala "vitórias" no combate à febre-amarela com realce para Angola

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud