ONU apoia Guiné-Bissau para acolher 10 mil refugiados da Gâmbia

20 janeiro 2017

Número deve ser alcançado em semanas; comissão analisou auxílio na quinta-feira; Nações Unidas e governo visitaram fronteira com o Senegal; missão teme aumento do fluxo de gambianos com possível piora da situação no seu país.

Amatijane Candé, de Bissau para a ONU News.

A Guiné-Bissau já recebeu mais de 4,3 mil refugiados da Gâmbia desde o início da crise pós-eleitoral no país, segundo dados avançados pelo coordenador interino do Sistema das Nações Unidas.

Falando a jornalistas, em Bissau, Aygan Kossi apresentou o resultado da visita de uma missão com o governo à fronteira norte com o Senegal. O receio é que os refugiados aumentem com a entrada do contingente senegalês das forças oeste-africanas na Gâmbia para levar Yahya Jammeh a abandonar o poder.

Governo

O levantamento de necessidades foi feito para atender a um máximo de 10 mil pessoas num mês e meio, avançou o também representante da Organização Mundial de Saúde, OMS, no país.

Aygan Kossi disse que a meta é que as necessidades imediatas sejam enquadradas nestas cifras de planificação - quatro a seis semanas para pouco mais de 5 mil a 10 mil pessoas. O responsável declarou que foi com base nesta hipótese que foi planeada uma pronta resposta à solicitação do governo.

Situação Humanitária

Uma comissão técnica com representantes guineenses e das organizações parceiras analisou o plano de contingência apresentado pelas autoridades de Bissau para adaptá-lo às condições atuais. A outra meta é propor ações para a ajuda aos afetados pelo movimento das populações.

O secretário executivo da Comissão Nacional de Refugiados, Tibna Sambé na Uana disse aos países que é fundamental o aumento da capacidade de resiliência das famílias guineenses que estão a acolher os refugiados gambianos.

“Graças as famílias que estão a acomodar, não vamos precisar ter um campo e estamos a evitar ter um campo porque é mais difícil de gerir e cria mais problemas. Estamos a encorajar estas famílias para continuarem a receber amigos e familiares. Devemos ter um suporte da parte da comunidade internacional.”

Movimento das populações

O comité de Apoio e Assistência as pessoas que entram no país fugindo da Gâmbia opera na fronteira de São Domingos.

Entre domingo e quarta-feira 3,3 mil refugiados, maioria mulheres e crianças, entraram em território guineense.

Mobilização de Recursos

O governo pediu apoio de parceiros para assistir os refugiados que estão sendo acolhidos por familiares e conhecidos, mediante um plano de contingência.

O facto vem aumentar o agregado das famílias guineenses, podendo complicar a situação humanitária destas caso persista a crise no país vizinho.

Notícias relacionadas:

Conselho de Segurança acompanha evolução da crise na Gâmbia  

ONU apoia líderes regionais nos esforços para acabar com crise na Gâmbia

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud