África terá mais de um terço de doação belga para produtores após desastres

19 janeiro 2017

Sahel e Mali terão intervenções mais longas em áreas afetadas; FAO recebe uma parte dos US$ 14 milhões para atuar antes de ser lançado um apelo de emergência logo depois de uma calamidade.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

Países de África vão receber mais de um terço dos 14 US$ milhões doados pela Bélgica para proteger a agricultura em áreas afetadas por desastres.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, anunciou que a região do Sahel terá US$ 4 milhões, enquanto outros US$ 2 milhões serão destinados ao Mali.

Resiliência

O Haiti será a única nação beneficiária da América Central, com US$ 3 milhões. A oferta, que pretende reforçar a resiliência de agricultores e pastores vulneráveis a longo prazo, inclui  € 2 milhões para o Iraque.

A contribuição da Bélgica vai também para o Fundo Especial de Emergência da FAO, que terá € 3 milhões a serem urgentemente canalizados a intervenções rápidas mesmo antes de ser lançado um apelo de emergência no terreno.

As calamidades abrangidas incluem desastres naturais e conflitos “quando surgem ameaças aos meios de subsistência, à segurança alimentar e à nutrição das famílias de agricultores”.

Programas

A maior parte da contribuição será para reforçar a capacidade dos agricultores para resistir aos choques. Os programas vão durar vários anos, numa abordagem considerada inovadora para financiar respostas humanitárias.

As iniciativas humanitárias são frequentemente financiadas em ciclos de seis meses a um ano, períodos considerados limitados “para reabilitar a produção agrícola e melhorar as práticas sensíveis ao risco”.

Várias estações

A FAO acredita que é importante dar um apoio mais longo especialmente para a agricultura para “permitir um auxílio durante várias estações e safras”.

Essa recomendação foi feita na Cimeira Humanitária Mundial de 2016, que debateu a redução do sofrimento humano e a melhoria da ajuda às pessoas que enfrentam crises em todo o mundo.

O diretor da Divisão de Emergência e Reabilitação da FAO, Dominique Burgeon, disse que a doação da Bélgica “reconhece o papel essencial da agricultura na vida de milhões de pessoas em todo o mundo”.

*Apresentação: Denise Costa.

Notícias relacionadas:

Preço dos alimentos cai pelo quinto ano consecutivo, segundo FAO

FAO: doação europeia deve apoiar mais de 10% de iemenitas em crise

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud