Comité quer transferir antigos rebeldes sul-sudaneses da RD Congo

16 janeiro 2017

Antigos combatentes do Splm/a na Oposição disseram que não querem mais envolvimento em ações armadas; equipa que integra ONU e governo congolês começa a encontrar-se na quarta-feira.

Eleutério Guevane, da ONU News Nova Iorque.*

As Nações Unidas e a República Democrática do Congo, RD Congo anunciaram um novo comité para discutir a transferência do país de antigos combatentes do grupo Splm/a na oposição, que atuavam no Sudão do Sul.

Na quarta-feira decorre o primeiro encontro do grupo conjunto após uma reunião de funcionários das Nações Unidas com governantes e responsáveis de direitos humanos na cidade congolesa de Goma, no leste.

Desestabilização

O governador do Kivu do Norte, Juliem Paluku, disse estar preocupado com a possível desestabilização na área se os elementos não forem transferidos.

Quando se reuniram com a equipa da ONU, na semana passada, os integrantes do grupo armado negaram ter qualquer intenção de voltar a combater. Eles pediram o apoio das Nações Unidas para que se unam às suas famílias.

Os enviados especiais das Nações Unidas para os Grandes Lagos e para a República Democrática do Congo reiteraram o compromisso da organização em ajudar a encontrar soluções para o caso.

Impacto

Essas e outras medidas serão tomadas “em cooperação e consulta com países da região, a Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento, Igad, e a União Africana.”

O enviado para RD Congo disse que tudo deve ser feito para evitar que a crise do Sudão se alastre para o território congolês e tenha impacto em habitantes da área “já sob tensão devido às atividades de muitos grupos armados ilegais.”

*Apresentação: Denise Costa.

Notícias relacionadas:

Relatório revela centenas de mortos e vítimas de estupro no Sudão do Sul

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud