Guterres: Acordo em Chipre pode ser um "símbolo de esperança" para o mundo
BR

12 janeiro 2017

Secretário-geral discursou após almoço com líder greco-cipriota Nicos Anastasiades e o líder turco-cipriota Mustafa Akinci; é a primeira vez que se sentam à mesa os dois representantes acompanhados dos países avalistas Grécia, Reino Unido e Turquia.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou na abertura da Conferência sobre Chipre que as partes envolvidas no encontro fizeram um grande progresso nas discussões realizadas nesta quinta-feira, em Genebra.

Esta é a primeira conferência internacional da qual Guterres participa desde que tomou posse no cargo. O secretário-geral falou a jornalistas ao lado do líder líder greco-cipriota Nicos Anastasiades e o líder turco- cipriota, Mustafa Akinci.

Segurança

O chefe da ONU disse que as partes estão muito perto de um acordo relacionado à criação de uma zona bilateral e comunitária, federal e institucional da República de Chipre.  Guterres disse que a questão agora é definir os instrumentos que levarão à implementação deste acordo. Ele afirma que os instrumentos tem que atender às preocupações de segurança das comunidades turco-cipriota e greco-cipriota.

António Guterres lembrou ainda que é a primeira vez em que ambos os representantes acompanhados dos países avalistas: Grécia, Reino Unido e Turquia sentam-se à mesma mesa para debater um acordo.

Ele elogiou o que chamou de “determinação e coragem” dos líderes Nicos Anastasiasdes e Mustafa Akinci.

Consenso

Para Guterres, a questão agora é chegar a um acordo aceitável que deverá ser aprovado através de plebiscito pelos cidadãos turco-cipriotas e greco-cipriotas.

A ilha no Mediterrâneo está dividida há mais de 40 anos. O conselheiro especial da ONU para  Chipre, Espen Barth Eide , afirmou antes do início da conferência sobre a possibilidade de um resultado “histórico” a ser alcançado.

Mapa

O conselheiro da ONU lembra que o líder greco-cipriota Nicos Anastasiades e líder turco-cipriota  Mustafa Akinci estão comprometidos em encontrar uma solução para Chipre já há um ano e meio.

Os dois lados devem apresentar seus ideais de mapas para Chipre. Se tudo sair conforme o planejado, esses mapas vão para um cofre da ONU e serão avaliados por cartógrafos das duas delegações. Depois, deve ser produzido um mapa final para a unificação de Chipre.

Notícias Relacionadas:

Retomadas as discussões para definir o futuro do Chipre

Reunião entre líderes cipriotas não rendem os resultados esperados pela ONU

Líderes querem "fazer o possível" para acordo sobre Chipre ainda em 2016 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud