Forças de paz estão na segunda cidade de Cote d’Ivoire após rebelião militar

9 janeiro 2017

Missão da ONU mantém unidade de reação rápida em Bouaké e promete acompanhar o cenário; ministro da Defesa marfinense foi libertado por soldados revoltosos na área.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

A Missão das Nações Unidas na Cote d’Ivoire, Onuci, mantém as suas forças de reação rápida na cidade de  Bouaké “em apoio às autoridades marfinenses”, após a participação de soldados num motim.

Numa nota emitida esta segunda-feira, a operação de paz prometeu continuar a acompanhar a situação no segundo maior centro urbano do país, também conhecido como Costa do Marfim. Os soldados reclamavam de bónus e de promoções na revolta que culminou no sábado.

Vítimas

A situação no país é considerada calma após um acordo que pôs fim a dois dias de protestos.

No domingo, os soldados retornaram aos quartéis como foi pedido pelo presidente marfinense Alassane Ouattara. A missão da ONU disse que não recebeu relatos de vítimas relacionadas com os incidentes.

De acordo com agências de notícias, os soldados libertaram o ministro da Defesa marfinense, Alain Richard Donwahi, que foi retido por duas horas. O grupo tinha rejeitado os termos de um acordo anunciado pelo presidente Ouattara, que disse ter considerado todas as suas reivindicações.

Notícias relacionadas:

Mais de 66% dos casos de estupro envolvem crianças na Cote d'Ivoire

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud