FAO: doação europeia deve apoiar mais de 10% de iemenitas em crise

9 janeiro 2017

País árabe tem 14 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar; agência quer ter ideia da dimensão da atual situação e evitar uma crise mais profunda.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, quer dar apoio imediato a mais de 150 mil iemenitas para melhorar rapidamente a sua produção alimentar e nutrição.

O auxílio será possível com cerca de €12 milhões prometidos pela União Europeia, UE, para o país que tem agora 14 milhões de pessoas em situação de insegurança alimentar.

Crise

A agência destaca que pretende “entender melhor a dimensão da situação atual e evitar uma crise mais profunda.”

O representante da FAO no Iémen, Salah Hajj Hassan, lembrou que o país enfrenta “uma das piores crises humanitárias do mundo: o acesso das pessoas à alimentação está a piorar rapidamente e é necessária uma ação urgente”.

A contribuição da UE deve reforçar consideravelmente a capacidade de recolher dados críticos sobre a segurança alimentar para “a tomada de medidas rápidas para evitar uma nova degradação da situação”.

O outro objetivo é fortalecer as ações para aumentar a resiliência dos agricultores e dos pastores de gado, com a ajuda para aumentar o valor da sua produção agrícola.

Rendimentos

Com o financiamento europeu, a FAO também quer apoiar atividades para gerar renda como a criação de aves domésticas, a produção de laticínios e a apicultura.

Os beneficiários também terão a oportunidade de aumentar os seus rendimentos com lições de como “melhorar as suas técnicas de cultivo e o processamento de alimentos, embalagens e marketing”.

As novas experiências incluem conhecimentos sobre sistemas de irrigação adequados e eficientes para mitigar riscos de falta de água, seca e mudanças climáticas.

A instalação de bombas solares deve garantir a oferta de energia para fornecer água às famílias de agricultores que sofrem com a grave escassez de combustível.

Alertas

A FAO quer dar apoio ao sistema de alerta precoce que incluirá o reforço da recolha, análise e gestão de dados sobre nutrição e segurança alimentar para dar resposta rápida a qualquer crise emergente.

A agência defende que serão necessários mais fundos para evitar uma crise de fome  mais profundada e que precisa de mais de US$ 48 milhões para realizar ações de emergência para garantir meios agrícolas de subsistência.

O alvo é apoiar pelo menos 3 milhões das pessoas mais vulneráveis  na área de segurança alimentar e nutricional.

*Apresentação: Denise Costa.

Notícias relacionadas:

Após ser obrigada a casar aos nove anos de idade, iemenita recomeça a vida

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud