PMA apoiou alimentação de 250 mil vítimas de insegurança alimentar no Mali

6 janeiro 2017

Fundos foram doados pela União Europeia e pelo Reino Unido; agência destaca riscos graves e potencialmente fatais da malnutrição para as crianças; apoio beneficiou vítimas da seca severa e do conflito.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

A União Europeia e o Governo do Reino Unido ofereceram US$ 5 milhões que permitiram fazer chegar a assistência do Programa Mundial de Alimentação, PMA,  a 250 mil vítimas de insegurança alimentar no Mali.

O número inclui deslocados internos, refugiados e repatriados que são agricultores e pastores de gado.

Seca e conflito

A diretora do PMA no Mali, Silvia Caruso, disse que vítimas da seca severa e do conflito contínuo nas regiões norte e centro receberam o auxílio.

A contribuição permitiu ainda dar assistência nutricional essencial a 92 mil crianças de 6 a 23 meses. O apoio chegou ainda a mais de 45 mil grávidas e lactantes nas cidades de Gao, Mopti e Timbuktu.

Crianças

Um Plano Nacional de Resposta apresentado no meio do ano foi desenvolvido para enfrentar a crise no país onde 425 mil pessoas enfrentavam insegurança alimentar grave em 2016.

A desnutrição é um problema com “riscos graves e potencialmente fatais para as crianças no Mali”. Uma pesquisa nutricional indicou que as taxas moderadas de desnutrição aguda eram de 12,4% a nível nacional.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud