ONU quer que Burundi recue na decisão de banir ONG de direitos humanos

4 janeiro 2017

Ligue Iteka  acompanhava e  documentava abusos; proibição total foi anunciada pelo Ministério do Interior; outras cinco entidades do setor estão completamente suspensas desde outubro de 2016.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas expressaram esta terça-feira o seu “desapontamento” com a decisão do Governo do Burundi de banir a mais antiga organização de direitos humanos do país, Ligue Iteka.

Agências de notícias informaram que um decreto do Ministério do Interior refere que a ONG “estaria a semear ódio e divisão na comunidade burundesa.”

Proibição

O documento, assinado pelo ministro Pascal Barandagiye, destaca que a resistência da organização de direitos humanos “requeria uma proibição total que foi decidida por uma Comissão de Inquérito.”

A ONU defende que a Ligue Iteka  teve um trabalho crucial ao acompanhar e documentar abusos cometidos no Burundi, ações que considera serem “tão importantes quanto a situação precária dos direitos humanos no país.”

Restrições

O apelo ao governo é que “reverta a decisão e reconsidere as restrições dadas às outras organizações de direitos humanos e da sociedade civil sancionadas nos últimos três meses.”

Em outubro, a Ligue Iteka teve uma suspensão temporária juntamente com outras três organizações da sociedade civil. De acordo com os relatos das agências noticiosas, nessa época cinco ONGs foram totalmente suspensas no Burundi.

Notícias relacionadas:

ONU quer investigação sobre a morte de ministro burundês no Ano Novo  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud