ONU quer investigação sobre a morte de ministro burundês no Ano Novo

3 janeiro 2017

Polícia revelou que titular da pasta da Água, do Ambiente e do Planeamento foi vítima de um “criminoso armado” durante a madrugada; ONU reitera que está pronta para continuar a apoiar mediação da organização regional.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

As Nações Unidas pediram uma investigação “rápida e credível” ao Governo do Burundi sobre o assassinato do ministro da Água, do Ambiente e do Planeamento, Emmanuel Niyonkuru, ocorrido a 1 de janeiro.

Falando a jornalistas, em Nova Iorque, o porta-voz do secretário-geral apelou à calma após prestar condolências à família do falecido, ao governo e ao povo burundês.

“Interrogatório”

Stephane Dujarric disse que o ato serve como sinal lamentável sobre a necessidade urgente de os partidos do Burundi se unirem no maior interesse do povo na busca de uma solução política duradoura para a crise no país.

De acordo com agências de notícias, o governante, de 54 anos, foi morto à 00:45, hora local, por “um criminoso armado”. A polícia revelou que após o “assassinato” deteve uma mulher que esteve com Niyonkuru para interrogatório.

Parceiros

Os relatos das agências citam o presidente burundês Pierre Nkurunziza como tendo dito que o crime não ficaria impune.

A organização reiterou que está pronta para continuar a trabalhar com os parceiros burundeses apoiando à mediação liderada pela Comunidade dos Estados da África Oriental.

Notícias relacionadas:

Refugiados burundeses podem aumentar em mais de 60% em 2017

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud