OMS assinala “vitórias” no combate à febre-amarela com realce para Angola

28 dezembro 2016

País teve a primeira epidemia em três décadas; Brasil fabricou doses de vacinas enviadas para três países afetados; agência da ONU enviou 30 milhões de doses de vacinas para África.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou que 2016 chega ao fim com 6,7 milhões de pessoas vacinadas contra a febre-amarela em Angola e na República Democrática do Congo, RD Congo.

A agência destaca que a epidemia do país de língua portuguesa ficou conhecida por ter sido a primeira em 30 anos num relatório sobre a imunização feita em todo o mundo durante o período.

Vacinas do Brasil

Desde o início do surto de febre-amarela em Angola, há um ano, a OMS enviou mais de 30 milhões de doses de vacinas para o país, para a vizinha República Democrática Congo e para o Uganda. O Brasil fabricou doses adicionais das vacinas.

Dados recolhidos durante o surto indicam que em Angola morreram pelo menos 159 pessoas. O maior número de vítimas foi registado na capital, Luanda. O último caso foi confirmado a 23 de junho no Kwanza-sul.

Etapas

Duas campanhas de vacinação decorreram onde pelo menos 355 pessoas foram infectadas pela doença. A última ocorreu em outubro tendo como alvo 2 milhões de pessoas em 10 províncias.

Na vizinha RD Congo a vacinação contra a febre-amarela teve duas etapas e a mais recente iniciou a 20 de outubro passado.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud