Migrantes etíopes retidos em Moçambique retornam para casa

27 dezembro 2016

Grupo tentava chegar à África do Sul, mas sofreu um acidente de trânsito em território moçambicano; com apoio da OIM, civis receberam atendimento médico, comida e finalmente conseguiram voltar para Adis Abeba.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque. 

Um grupo de migrantes da Etiópia acaba de conseguir retornar para casa, após mais de dois meses a aguardar o momento em Moçambique. O retorno aconteceu graças ao apoio da Organização Internacional para Migrações, OIM.

Os 34 migrantes iniciaram uma jornada a partir de Awasa, sul da Etiópia. Viajaram a pé, de barco ou de autocarro para Quénia e Tanzânia. O destino final seria a África do Sul, onde a maioria tinha familiares que prometeram ajuda. 

Pagamento

O grupo era formado por homens e rapazes, com idades entre 15 e 39 anos. Cada um pagou cerca de US$ 3,5 mil para que contrabandistas facilitassem a ida até a África do Sul, valor que é, segundo a OIM, seis vezes maior do que a renda média na Etiópia.

Mas o sonho acabou em Moçambique. Ao cruzarem uma fronteira sem patrulha na província de Cabo Delgado, no norte, o veículo onde estavam bateu em outro  e sete migrantes morreram.

Desespero

Após o acidente, em 1º de outubro,  as autoridades nacionais de migração pediram apoio da OIM. Os feridos foram para um hospital, outros ficaram abrigados em um centro de detenção ou em um prédio abandonado.

A organização Discípulos da Eucaristia de Jesus forceneu comida e assistência médica aos etíopes. Uma freira brasileira que ajudou o grupo contou à OIM que os migrantes estavam “sem comer há semanas, com medo, feridos e desesperados”.

Em Moçambique, a OIM também distribuiu comida e ajudou na emissão de documentos de viagem, por meio da Embaixada da Etiópia. Assim, os migrantes conseguiram retornar para casa de forma voluntária e com dignidade.

Ao chegar na Etiópia, na quinta-feira, a OIM forneceu uma pequena ajuda de custo e transporte até a estação de autocarro de Adis Abeba. A partir de lá, cada um seguiu para a sua cidade de origem.

Notícias Relacionadas:

Fundo da ONU financia projeto de US$ 3 milhões para refugiados somalis

Um quarto dos sul-sudaneses abandonou as suas casas devido ao conflito

2016: ano "turbulento para refugiados e migrantes" 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud