ONU: retomada retirada de civis de Alepo após suspensão de mais de um dia
BR

21 dezembro 2016

Porta-voz afirmou que 20 funcionários da organização foram deslocados de Damasco para acompanhar o processo de saída de pessoas em Alepo; Cruz Vermelha disse que mais de 25 mil civis deixaram a cidade entre 15 e 20 de dezembro.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova York.

A ONU afirmou que o processo de retirada de civis do leste de Alepo foi retomado esta quarta-feira, depois de mais de um dia de interrupção. O trabalho está sendo realizado pela Cruz Vermelha Internacional e pelo Crescente Vermelho Árabe na Síria.

A declaração foi feita pelo porta-voz do secretário-geral das Nações Unidas, Farhan Haq, durante o briefing com jornalistas na sede da organização, em Nova York.

Observadores

Haq disse que, pelo menos 20 funcionários da ONU foram deslocados de Damasco, a capital da Síria, para acompanhar como observadores a saída dos civis do leste de Alepo.

Ele declarou que há uma semana, equipes das Nações Unidas estão presentes também no posto de segurança do governo sírio em Ramouseh, em Alepo, observando a retirada e as atividades de resposta na região.

Haq disse ainda que segundo a Cruz Vermelha, mais de 25 mil pessoas foram retiradas das áreas cercadas no leste de Alepo entre 15 e 20 de dezembro.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS, até a última segunda-feira, 301 feridos e doentes deixaram a região.

Nessa lista estão 93 pacientes em situação grave que foram levados para a Turquia e outros foram transferidos para hospitais em Idlib e também para a região ocidental de Alepo.

Proteção

Farhan Haq explicou que a proteção dos civis que deixam o leste de Alepo continua sendo uma grande preocupação.

O processo de retirada é “traumático”, com pessoas em situação vulnerável tendo de esperar horas para entrar nos ônibus e expostas a temperaturas abaixo de zero.

O porta-voz afirmou que todos os civis que ainda estão na região devem ter permissão para deixar a área com segurança, caso decidam sair do local. Ele disse que é “urgentemente necessário” acesso a pessoas que precisem de ajuda humanitária.

Ainda falando sobre a Síria, Haq disse que o Conselho de Segurança renovou esta quarta-feira, os termos das resoluções que tratam do acesso humanitário no país por mais um ano.

Além disso, os países-membros querem que as autoridades sírias respondam rapidamente a todos os pedidos de entrega de ajuda pela fronteira feitas pela ONU e seus parceiros.

Notícias relacionadas:

Enviado da ONU critica "chantagens" na retirada de civis em Alepo

Conselho de Segurança aprova envio de observadores a Alepo

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud