Missão da ONU condena ataque que matou um soldado de paz na RD Congo

19 dezembro 2016

Ação da milícia Mayi-Mayi foi realizada em diversas áreas de Butembo, na província de Kivu Norte; dois capacetes azuis estão feridos; um integrante da polícia nacional também foi morto; representante especial do secretário-geral ressaltou que ataques a soldados e paz são considerados crimes de guerra.

Laura Gelbert, da ONU News em Nova Iorque.

O representante especial do secretário-geral na República Democrática do Congo e chefe da Missão da ONU no país, Monusco, Maman Sidikou, condenou de forma veemente o ataque da milícia Mayi-Mayi que matou um soldado de paz da Missão.

A ação foi realizada em diversas áreas de Butembo, no território de Beni, na província de Kivu Norte nesta segunda-feira.

Crime de Guerra

Em nota, Sidikou alertou que o ataque resultou ainda na morte de um integrante da polícia nacional e deixou outros dois capacetes azuis feridos.

O representante expressou suas “profundas condolências” às famílias dos mortos e aos governos da República Democrática do Congo e da África do Sul. Ele também desejou rápida recuperação dos feridos.

No comunicado, Sidikou destacou que ataques a soldados de paz são considerados crimes de guerra e que os autores serão responsabilizados.

O chefe da Monusco reafirmou ainda que esta ação “hedionda” não vai minar o “compromisso e determinação” da Missão da ONU em cumprir seu mandato de proteger civis e neutralizar grupos armados, em apoio às forças de segurança da República Democrática do Congo.

Notícias Relacionadas:

Peritos alertam autoridades que serão responsáveis pela violência na RD Congo

Silenciar oposição "não é solução", diz Zeid sobre RD Congo

Milhares fogem de confrontos entre governo e ex-rebeldes no Congo 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud