Ban: implementação lenta de acordo não trouxe paz que líbios merecem
BR

17 dezembro 2016

Comunicado do secretário-geral marcou o primeiro aniversário da assinatura do Acordo Político Líbio; Ban cita medida como “marco fundamental na transição democrática do país”. 

Laura Gelbert, da ONU News em Nova York.

Um comunicado emitido pelo porta-voz do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, marcou o primeiro aniversário do Acordo Político Líbio, assinado há um ano em Skhirat, no Marrocos.

Na nota, Ban menciona o acordo como “marco fundamental na transição democrática do país”. O secretário-geral saudou todos os líbios que se envolveram no processo, no espírito de reconciliação, inclusão e direitos humanos.

Longa estrada

O comunicado cita que o caminho para a paz é longo e exige trabalho duro e compromisso.

Segundo a nota, muito foi alcançado no último ano: o Conselho Presidencial foi formado e está em operação em Trípoli; a produção de petróleo aumentou; e avanços significativos foram feitos contra o terrorismo no país.

O secretário-geral alerta, no entanto, que o “ritmo lento de implementação do Acordo não trouxe a estabilidade e segurança que o povo líbio precisa e merece”.

Missão da ONU

Ban reiterou que as Nações Unidas continuarão a acompanhar o processo e apoiar a população do país.

O chefe da ONU saudou os esforços de seu representante especial para a Líbia, Martin Kobler, e da equipe da Missão de Apoio da ONU no país, Unsmil.

O secretário-gera também expressou apreço à União Africana, à União Europeia, à Liga de Estados Árabes e Estados-membros pelo apoio ao processo político líbio.

Acordo Político

O comunicado deste sábado vem após o informe feito por Kobler ao Conselho de Segurança em 6 de dezembro. Na ocasião, o chefe da Unsmil citou que a implementação do Acordo Político está lenta e que suas instituições continuam a funcionar abaixo das expectativas.

O Acordo se baseia em quatro princípios-chave: garantir os direitos democráticos para a população líbia, a necessidade de um governo de consenso baseado no princípio de separação de poderes e vigilância e equilíbrio entre eles.

Além disso, a necessidade de empoderar instituições estatais como o Governo de Acordo Nacional para que este possa abordar os graves desafios e respeitar o Judiciário do país e sua independência.

Leia e Ouça:

Líbia: Conselho de Segurança reitera pleno apoio a acordo político 

Fundo de Consolidação da Paz aprova US$ 3 milhões para a Líbia 

ONU quer fim de detenções de migrantes em "condições desumanas" na Líbia 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud