O desafio do Dia Internacional de Pessoas com Deficiências é a estigmatização

3 dezembro 2016

Em Moçambique cerca de 2% são pessoas com deficiência, esta percentagem corresponde a cerca de 475.011 pessoas segundo censo de 2007. A barreira de atitude é um dos desafios por contornar, afirma Eufemia Amela, deficiente física.

Ouri Pota, da Rádio ONU em Maputo

Moçambique comemora o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência sob lema: Promover a Paz e acesso aos serviços básicos para a pessoa com deficiência e assegurar o desenvolvimento sustentável.

Esta pode ser a história de milhares de pessoas com deficiência em qualquer parte do mundo. Eufémia Amela licenciada em administração escolar é deficiente pois não teve a oportunidade de ser vacinada quando tinha um ano de idade.

"Eu não nasci assim, sou uma pessoa com deficiência física em resultado da ausência de uma vacina".

Hoje, adulta, quer um mundo cheio de esperança, mas ela afirma que tudo depende da atitude do ser humano.

“ A barreira da atitude é a mais dificil de combater se as pessoas olhassem para nós como pesssoas, cidadãos que temos igualdade de oportunidades, com aquilo que eu passei podia ter sido reduzido.  Dizer que ser uma pessoa com deficiências num pais como este ainda são grandes desafios que temos que enfrentar, porque enquanto o ser humano não mudar, por muito mais que escreva coisas bonitas enquanto as pessoas fazem muita negação para perceber as coisas nada pode andar”.

A ideia de Eufémia Amela é apoiada por António Muchave, chefe departamento dos assuntos de deficiência no Ministério do Gênero, Criança e Ação Social. Ele acredita que a sensibilização das comunidades pode reduzir o estigma às pessoas com deficiência.

“Nós temos outro grande desafio que é a sociedade estar sensibilizada para tomar a peito que uma pessoa com deficiência é um ser humano, é uma pessoa igual a todos nós, goza dos mesmos direitos e precisa ter um mundo acessível em que também possa participar do desenvolvimento deste pais.

Segundo Muchave , no país a deficiência fisica, auditiva, mental, visual e deficiência múltipla são as mais frequentes, com destaque nas mulheres. Ele citou o censo de 2007.

“Neste momento temos cerca de 475.011 pessoas com deficiência. Esta cifra mostra 2% da população moçambicana e destas cerca de 225.259 são mulheres, temos também um número de 60.261 meninas”

Já o especialista da proteção da criança no Fundo das Nações Unidas para Infância, Gerson Nombora, afirma que aposta em técnicos qualificados e solução para não estigmatizacao da pessoa com deficiência.

“ Precisamos também de técnicos qualificados,  por exemplo, em língua de sinais, seria extremamente relevante para assegurar  que pessoas com deficiência pudessem também aceder a cultura, comunicação e informação, mas tambám estamos a falar do ponto de vista de acessibilidade fisica, temos um défice. Temos um decreto sobre acessibilidade  mas a sua implementação ainda carece de alguma acção mais enérgica, talvez um melhor monitoramento.”

Moçambique ratificou a Convenção dos Direitos Específicos da Pessoa com Deficiência a 27 de Outubro de 2010 com vista a garantir a protecção, bem como o cumprimento pleno e equitativo de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais da pessoa com deficiência.

A Convenção é um instrumento internacional aprovado por consenso pelos 193 Estados membros das Nações Unidas com objetivo fundamental de proibir qualquer tipo de discriminação à pessoa com deficiência em todas áreas da vida.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud