PMA quer apoio urgente para refugiados, estudantes e crianças do Quénia

25 novembro 2016

Pelo menos 1,25 milhão de pessoas precisam de doações de comida devido à insegurança alimentar; demora de chuvas pode agravar a situação em todo o país.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Programa Mundial de Alimentação, PMA,  pediu financiamento urgente para apoiar milhares de refugiados, estudantes e crianças que sofrem de desnutrição no Quénia.

A agência recebeu 60% dos 127 milhões que precisa para financiar as suas ações até ao fim do ano. O país tem 1,25 milhão de pessoas que carecem de  doações de comida devido à insegurança alimentar provocada pela seca.

Escolas

A assistência alimentar às escolas quenianas envolve cerca de 653 mil pessoas. Nesses estabelecimentos há crianças que recebem papas para tratar a desnutrição.

O apoio ao país envolve redes do governo, atividades de geração de rendimentos e do auxílio alimentar do PMA.

As autoridades quenianas adiaram o fecho do acampamento de refugiados de  Dadaab, o maior do mundo, com 276 mil refugiados. A agência atua também no acampamento de Kakuma.

Insegurança Alimentar

O início tardio das chuvas na época que vai desde outubro a dezembro faz prever uma situação de insegurança alimentar mais crítica em todo o país.

O PMA presta assistência aos carenciados através da combinação da distribuição de comida e transferências monetárias. A agência anunciou que também trata crianças até cinco anos e mães com desnutrição aguda moderada.

Leia Mais:

Especialistas criticam Quénia por uso excessivo da força contra manifestantes  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud