Líbia será prioridade no próximo ano, diz chefe do TPI

11 novembro 2016

Fatou Bensouda citou violência generalizada, falta de leis, impunidade no país e consequências trágicas do conflito para civis.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Tribunal Penal Internacional, TPI, fará da situação na Líbia uma prioridade em 2017, afirmou a procuradora-chefe Fatou Bensouda.

Ela citou violência generalizada, falta de leis, impunidade no país e consequências trágicas do conflito para civis.

Justiça

Ao Conselho de Segurança, Bensouda citou ainda o desejo de fornecer justiça às vítimas de crimes sob o Estatuto de Roma.

Ela afirmou que instabilidade persistente e conflito armado impedem que o seu escritório conduza investigações no território líbio, tanto em relação a casos existentes como para potenciais.

No entanto, o seu escritório pretende solicitar novos mandatos de prisão assim que possível e ter novos no futuro e mencionou que as ações de seu escritório para prender outros suspeitos avançaram de forma significativa.

Leia e Ouça:

TPI revela que violência na RD Congo é fonte de grande preocupação

Grávidas e crianças entre vítimas de naufrágio no Mediterrâneo

1,3 milhão de líbios devem precisar de ajuda em 2017

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud