Onusida quer ajudar adolescentes e jovens a se protegerem do HIV

9 novembro 2016

No ano passado, 75% das novas infeções na África Subsaariana atingiram raparigas e adolescentes entre 10 e 19 anos;  agência da ONU quer criar ambiente onde elas possam estar livres da discriminação e da violência.

Monica Grayley, da Rádio ONU.*

O Programa Conjunto da ONU sobre HIV/Sida, Onusida, está a ajudar raparigas e adolescentes africanas a se protegerem do vírus da Sida.

De acordo com a agência da ONU, meninas e jovens entre 10 e 19 anos foram as mais afetadas com os novos casos de infeção.

Serviços de saúde

Cerca de 75% dos novos casos de contaminação na África Subsaariana eram de meninas nesta faixa etária.

Para o Onusida, as ações de prevenção têm de priorizar a necessidade de proteção, e dos direitos à saúde reprodutiva das raparigas.

Além disso, elas precisam ter acesso aos serviços de saúde para fazer prevenção e tratamento.

A agência da ONU acredita que ao dar autonomia às mulheres, adolescentes e jovens, elas podem criar um ambiente livre de discriminação e violência.

Em muitos casos, o risco de infeção com o HIV está associado às desigualdades de género como a violência, falta de escolaridade e casamentos forçados na adolescência.  Muitas jovens também não têm informação na hora de iniciar a vida sexual.

Para o Onusida, as jovens têm que estar envolvidas na formação de políticas e programas de combate ao HIV.  E todos devem participar incluindo os rapazes e os homens.

*Apresentação: Denise Costa.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud