Sudão do Sul: conflito deslocou milhares de pessoas em outubro

7 novembro 2016

Maioria fugiu para Uganda, República Democrática do Congo, Etiópia e Sudão; Acnur alertou que o conflito que tornou-se uma das maiores crises humanitárias do mundo continua a gerar grande sofrimento e deslocamento.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, alertou que o conflito no Sudão do Sul, que se tornou uma das maiores crises humanitárias do mundo, continua a gerar grande sofrimento e deslocamento.

Dados do mês de outubro mostram que, em média, a cada dia, 3,5 mil pessoas fugiram para países vizinhos: Uganda, República Democrática do Congo, Etiópia e Sudão.

Mulheres e crianças

Nestes países, o Acnur, autoridades nacionais e outros atores humanitários também estão a correr para criar condições humanas e seguras para os recém-chegados. Nove em cada 10 são mulheres e crianças.

A maior parte deste fluxo tem sido para o Uganda. Lá chegaram cerca de 2,4 mil pessoas por dia desde o início de outubro e mais de 250 mil novos refugiados desde a retomada da violência em 7 de julho.

Os recém-chegados relataram assédio a civis por grupos armados, mortes e tortura de pessoas suspeitas de apoiarem facções rivais, vilas queimadas, violência sexual a mulheres e meninas e recrutamento forçado de homens e meninos.

Falta de recursos

Nas últimas semanas, refugiados estão cada vez mais usando pontos informais de travessia de fronteiras. Segundo relatos, o motivo seria a presença de homens armados a impedir que as pessoas usem as principais estradas.

Muitos refugiados contaram ter andado pelo mato por dias, muitas vezes sem comida ou água.

Fornecer assistência vital imediata, incluindo comida, água e abrigo continua sendo a prioridade do Acnur. No entanto, a grave falta de recursos está a prejudicar as ações da agência no terreno.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia e Oiça:

Relatório: Missão falhou em resposta à violência no Sudão do Sul

145 crianças libertadas por grupos armados no Sudão do Sul

ONU alerta sobre "aumento alarmante da retórica do ódio” no Sudão do Sul 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud