Relator pede mais ação de órgãos especializados no combate ao racismo

2 novembro 2016

Mutuma Ruteere defende que os países ampliem o uso de entidades e planos de ação nacionais para acabar com a xenofobia e atitudes racistas; relator especial da ONU quer solução para discriminação no emprego, em casa e nas escolas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O relator especial das Nações Unidas sobre formas contemporâneas de racismo está a defender que os países ampliem o uso de órgãos especializados e de planos de ação nacionais para combater o racismo e a xenofobia.

Mutuma Ruteere apresentou seu relatório sobre o assunto à Assembleia Geral da ONU. Segundo ele, órgãos nacionais de direitos humanos podem identificar causas da discriminação racial e contribuir para a construção de novas políticas.

Emprego

O relator acredita que entidades especializadas de cada país podem tratar a raiz do problema da discriminação em áreas como emprego, habitação, educação, sistema judiciário e aplicação das leis.

Segundo Ruteere, esses órgãos nacionais podem promover novas políticas e fornecer conselhos aos legisladores e contribuir para a promoção da igualdade, da diversidade e da não-discriminação nos setores público e privado.

Recursos

Um dos exemplos mencionados pelo relator é sobre o combate à discriminação no ambiente de trabalho. Mas para que os órgãos de direitos humanos possam funcionar de maneira adequada, é importante que tenham recursos e liberdade para colher dados sobre racismo, xenofobia e grupos de risco.

Mutuma Ruteere também apresentou um outro relatório sobre neo-nazismo e outras práticas que contribuem para a discriminação racial e a intolerância.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud