Chefe da ONU espera que África do Sul reconsidere saída do TPI

25 outubro 2016

Em nota, secretário-geral lamentou decisão do governo sul-africano; para Ban, TPI é “central para as ações globais para acabar com a impunidade e prevenir conflitos”.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, lamentou a decisão do governo sul-africano de retirar-se do Estatuto de Roma, do Tribunal Penal Internacional, TPI.

Em nota emitida por seu porta-voz, Ban lembrou o “papel significativo” desempenhado pela África do Sul no estabelecimento do TPI, incluindo como um dos primeiros signatários do Estatuto de Roma.

Esforços globais

O chefe da ONU espera que a África do Sul “reconsidere sua decisão antes que a retirada entre em vigor”.

Segundo Ban, o TPI é “central para as ações globais para acabar com a impunidade e prevenir conflitos”.

Ele afirmou estar confiante de que os Estados-membros continuarão a fortalecer ainda mais o Tribunal a evitar, assim, “futuras atrocidades” em todo o mundo. O secretário-geral também espera que países que possam ter questões relacionadas ao funcionamento da Corte, busquem resolvê-las na Assembleia dos Estados-parte do Estatuto de Roma.

Leia e Ouça:

ONU recebe carta da África do Sul confirmando intenção de retirada do TPI

TPI revela que violência na RD Congo é fonte de grande preocupação

Saída do Burundi preocupa líder da Assembleia dos Estados Partes do TPI

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud