1,3 milhão de líbios devem precisar de ajuda em 2017

25 outubro 2016

Previsão foi divulgada pelo Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha; assistência de saúde e proteção permanecem algumas das prioridades.

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

Cerca de 1,3 milhão de líbios precisarão de ajuda em 2017, de acordo com a previsão divulgada pelo Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha.

Segundo o Escritório, as prioridades que permanecem são: a assistência de saúde e medicamentos vitais, a proteção dos mais vulneráveis e o acesso a bens e serviços essenciais.

Comida

A entrega de suprimentos de comida estaria em risco, com o Programa Mundial de Alimentação, PMA, forçado a reduzir as suas operações por falta de financiamento.

Com o conflito na Líbia a “continuar a ter um impacto na população e aumento de dificuldades económicas”, a comunidade humanitária reuniu-se em Túnis entre 10 e 11 de outubro para avaliar as necessidades da área e criar o caminho para o Plano de Resposta Humanitária 2017.

Planos

O evento teve a participação de representantes de autoridades líbias nacionais e locais, ONGs do país e internacionais, sociedade civil e agências da ONU.

A resposta humanitária em 2017 se concentratá em intervenções vitais de emergência que protejam a diginidade das pessoas afetadas e, dentro de um curto espaço de tempo, mitiguem ou evitem a perda de vidas e danos e ameaças físicos ou psicológicos.

*Apresentação: Denise Costa.

Leia e Ouça:

Mais de 26 milhões de armas circulam na Líbia apesar do embargo da ONU

ONU pede mais assistência da UE para gerir migrantes na Líbia 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud