Produção de ópio no Afeganistão aumenta 43%, revela Unodc
BR

24 outubro 2016

Pesquisa do Ministério de Controle de Narcóticos e agência da ONU destaca 4,8 mil toneladas produzidas neste ano; crescimento reverte esforços para combater problema das drogas no país.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Ministério de Controle de Narcóticos do Afeganistão e o Escritório da ONU sobre Drogras e Crime, Unodc, divulgaram esta segunda-feira os resultados da pesquisa sobre ópio.

A produção de ópio subiu 43% este ano, na comparação com os níveis de 2015. Foram produzidas 4,8 mil toneladas de ópio. A área de cultivo da papoula, planta de onde se extrai o ópio, aumentou 10%, chegando a 201 mil hectares.

Retrocesso

O diretor-executivo do Unodc, Yury Fedotov, afirmou que o novo relatório mostra um “retrocesso preocupante nos esforços para combater as drogas ilícitas” no Afeganistão e os impactos para o desenvolvimento e a segurança do país.

A alta na produção pode ser explicada pelo aumento na área de cultivo da papoula e pelo maior rendimento por hectares. No oeste do país, a média de produção por hectare subiu 37% e no sul, 36%.

Em relação à erradicação do plantio de papoula, foram 355 hectares destruídos este ano, uma queda de 91% em relação ao ano passado, quando 3,7 mil hectares foram erradicados.

Dependentes

O diretor do Unodc declarou que nenhum resultado da pesquisa é positivo e indica o nível da ameaça enfrentada pelo Afeganistão e pela comunidade internacional.

Fedotov destaca que o próprio Afeganistão é o primeiro entre tantas vítimas de uma droga destruidora. Segundo ele, os afegãos sofrem níveis arrasadores de dependência de drogas, de instabilidade e de insegurança.

O chefe do Escritório da ONU lembra que o dinheiro obtido com a produção e venda de drogas “alimenta o terrorismo e a corrupção”. Yury Fedotov faz um apelo à comunidade internacional pelo reforço da cooperação com o país. O compromisso político nacional também é essencial para reverter o quadro.

Leia e Ouça:

Relatório revela que drogas mataram pelo menos 207 mil pessoas em 2014

Cerca de 250 milhões de pessoas já usaram drogas no mundo

Entrevista: África e consumo de derivados do ópio do Afeganistão

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud